Salada de batata com maionese de tofu

Salada de batata com maionese de tofu:

Ingredientes:

  • 3 batatas grandes cortadas em cubos
  • 200g de tofu
  • 1/2 xícara de polvilho azedo
  • 1 xícara de água
  • 2 dentes de alho
  • 1/2 cebola
  • Suco de 1 limão
  • Salsinha picada
  • Azeite de oliva
  • Sal marinho

Modo de preparo:

  • Cozinhe as batatas com casca na pressão por 20min. Reserve.
  • Bata o tofu no liquidificador e reserve.
  • Numa panela, refogue o alho e a cebola no azeite, adicione a água e o polvilho e deixe ferver, mexendo bem até formar um mingau.
  • Leve a mistura ao liquidificador junto do tofu e bata com o limão e sal a gosto até formar um creme e reserve.
  • Descasque e corte as batatas em cubos grandes, misture a maionese na batata e adicione a salsinha picada.
  • Deixe esfriar e sirva!

Foto: Bigstock
Fonte: http://www.panelaalternativa.com/

Estrogonofe vegano de soja com champignon

Estrogonofe é uma receita clássica e constantemente servida seja em nossas casas, restaurantes e grande parte da cultura ocidental. Nós do portal Veego demoramos para encontrar a melhor versão vegana dessa comidinha tão saborosa e maternal, mas encontramos! E queremos dividir com vocês essa alegria, vamos lá?

Ingredientes:

  • 300g de proteína de soja texturizada em pedaços
  • 200g de champignon fresco ou cogumelo paris
  • 300ml de água quente
  • 1 xícara de água filtrada
  • 15 tomates italianos vermelhinhos
  • 400g de tofu soft
    1 col. de mostarda (indicamos da marca Heinz)
  • Azeite de oliva ou óleo de girassol
  • 4 dentes de alho
  • 1 cebola
  • Páprica defumada
  • Pimenta do reino
  • Folhas de louro
  • 1 col. açúcar mascavo
  • Sal marinho

Modo de preparo:

  • Comece hidratando a soja: em um recipiente coloque 1 dente de alho picado, a folha de louro, 1 pitada de sal e despeje a soja, em seguida adicione a água quente e deixe-a hidratando.
  •  Prepare o creme de tofu: lave bem o tofu em água corrente e bata no liquidificador com 1/2 xícara de água filtrada e 1 pitada de sal, até obter a consistência de creme e reserve.
  •  Lave bem os tomates e triture-os no liquidificador com 1/2 xícara de água filtrada. Pique 1/2 cebola e 2 dentes de alho e refogue-os com azeite ou óleo com 1 folha de louro. Assim que a cebola começar a murchar, acrescente a mistura dos tomates triturados ao fogo, adicione 1 col. de sopa de açúcar mascavo e mexa bem, quando levantar fervura, adicione pimenta do reino e sal marinho a gosto, abaixe o fogo e deixe cozinhar até o molho apurar.
  •  Enquanto isso, lave bem e pique os cogumelos em lâminas, reserve. A esta altura, a soja já estará hidratada, esprema-a em uma peneira ou pano de prato para retirar o excesso de água e reserve. Pique a outra metade da cebola e o último dente de alho e refogue-os numa panela com 1 col. de chá de páprica defumada, adicione a soja e o champignon e refogue bem. Essa é a hora de adicionar o molho de tomate já apurado à mistura, acerte o tempero a gosto e deixe cozinhar em fogo baixo.
  •  Quando a mistura já estiver bem vermelhinha, adicione o creme de tofu e misture bem, adicione a mostarda e mexa até que o estrogonofe crie uma textura cremosa. Deixe cozinhar por 2min. em fogo baixo. Desligue o fogo e sirva com batata palha e com o arroz de sua preferência.

Essa receita não contém glúten, e pode ser feita com diversos recheios: legumes diversos, cogumelos ou seitan picadinho!

Foto: Bigstock
Fonte: http://www.panelaalternativa.com/

Telhados vivos: na contramão do aquecimento global

We cannot quite know what will happen if a machine exceeds our own intelligence, so we can’t know if we’ll be infinitely helped by it, or ignored by it and sidelined, or conceivably destroyed by it. — Stephen HawkingApesar de parecer um problema invisível, o aquecimento global é uma realidade. Cientistas vinculados ao Intergovernmental Panel On Climate Change (Painel Intergovernamental Sobre Mudanças Climáticas) levantaram dados que asseguram que no século XX a temperatura do planeta terra aumentou 0,7oC. Segundo os mesmos cientistas as previsões para o século XXI são apocalípticas. Haverá a elevação de mais 1oC, parece pouco, mas pensa no tanto de CO2 que precisa gerar, para aquecer 1oC do planeta inteiro. Abaixo vocês verão que o resultado é catastrófico. Ainda não há consenso total entre os cientistas pesquisadores, porém fortes indícios dizem que os autores dessa obra-prima somos nós seres humanos, com os nossos: passeios de carro, participações exageradas em churrasco, uso interminável de sacolinhas plásticas, dormidinhas gostosas com a tv ligada, etc.

Mas a situação é tão grave a ponto de estar descontrolada? Sim, é.

Como o greenpeace diz, “É o desafio da nossa geração”.  Alguns vão pensar “Ah, se o problema não tem solução, solucionado está.” outros vão pensar, “Será que eu e mais uns gatos pingados vamos fazer diferença?”. Muita gente pensa sim, mas também tem gente que topou encarar o “desafio da nossa geração” acreditando que ainda dá tempo de fazer muita coisa e mudar o rumo dessa história.

Construir telhados verdes é uma ideia simples e inovadora que faz você dizer “Nossa, porque ninguém pensou nisso antes.” Seus benefícios são tantos que os telhados verdes estão criando raízes em muitas cidades ao redor do mundo. Além de ir na contramão do aquecimento global, veja as vantagens que um telhado verde pode trazer:

  1. Os telhados verdes reduzem escoamento da água da chuva diminuindo as chances de enchentes;
  2. Melhora a qualidade do ar. Sua tia-avó que tem sinusite aguda agradece;
  3. Diminui a ilha de calor (fenômeno climático que ocorre a partir da elevação da temperatura de uma área urbana);
  4. Deixa o visual da cidade mais bonito;
  5. Trás conforto térmico e acústico;
  6. Forma microssistemas ecológicos;
  7. Fornece áreas recreativas.

Aqui embaixo você verá que está indo na contramão do aquecimento global e fazendo bonito:

Nova Iorque

  • State Law: Crédito de até $100.000, ou $4,5 por m² para telhados verdes que ocupem pelo menos 50% do espaço disponível de cobertura.

Tóquio

  • Tokyo Plan 2000: É requerido que prédios com mais de 1000 m² tenham pelo menos 20% do espaço de coberto com telhado verde.

Singapura

  • Green Roof Incentive Scheme: prevê a concessão de crédito para pagar até 50% do custo de instalação de telhados verdes.
  • BCA Green Mark Certification and Incentive Scheme: paralelo com o esquema de incentivo para telhados verdes, este esquema é uma certificação para tornar a indústria da construção mais sustentável, onde muitos pontos podem ser obtidos através da instalação de jardins verticais e telhados verdes.

telhado-verde-2
(Hotel PARKROYAL em Singapura)

telhado-verde-1
(Hotel PARKROYAL em Singapura)

Copenhagen

É mandatório na cidade que todos os novos edifício que possuem coberta plana ou com inclinação menor que 30°, público ou privado, que sejam vegetados. Caso edifícios já existentes necessitem de um retrofit, o proprietário do edifício pode receber um financiamento público para ajudar com os custos da instalação.

Alemanha

Edifícios que possuem taxa de impermeabilidade de 100% recebem o dobro de imposto. 13 cidades alemãs autorizam a redução de 50 a 80% do imposto predial pela instalação de telhados verdes. 29 cidades provêm subsídio monetário direto para telhado verdes, variando entre $0,51 a $6,20 por m².

Munique

  • Green Roofs For Healthy Cities: um programa que prevê o subsídio de $33,70 por m², pagando até 50% do custo de instalação de telhados verdes. 4,2 milhões de pés quadrados de telhado já estão verdes.

Zurique, Basel, Luzern

  • Building Code: todos os edifícios novos que possuírem cobertas planas devem ser instalados telhados verdes.

Bronx Borough

  • Bronx Environmental Revolving Loan Fund: foi designado para aumentar a implementação de medidas de melhoria da qualidade do ar da vila/bairro. Somente empresas de iniciativa privada estão sujeitos aos empréstimos que variam entre $10.000 e $500.000.

Annapolis

O conselho oferecerá até $10.000 de crédito para proprietários que tentarem reduzir a poluição das águas pluviais. A instalação de telhado verde está inclusa no contexto.

Chicago

  • The Green Roof Grant Program 2006 for Residential and Small Commercial Buildings: incentivo de $5.000 para suporte de pequenos projetos comerciais e residenciais com menos de 10.000 sf.
  • Green Roof Improvement Fund Tax Increment Financing: programa piloto para a aplicação de telhado verde nos edifícios do centro da cidade, com fundos de até $100.000. 

Portland

  • Grey to Green Effort: o programa de crédito disponibiliza $800.000 por ano para a aplicação em projetos que possuem telhado verde. Os valor por m² de telhado verde recebido é de $5,00.

District of Columbia

Provê rebatimento de $5,00 por m² de telhado verde em edifícios residenciais, comerciais e instituições.

E o Brasil não fica fora:

Recife: Lei 18.112/2015 obriga projetos de edificações habitacionais multifamiliares com mais de quatro pavimentos e não-habitacionais com mais de 400m² de área de coberta deverão prever a implantação de “Telhado Verde”.

São Paulo: PL nº 115/2009 da vereadora Sandra Tadeu dispõe sobre a dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação de telhados verdes na cidade. Os projetos de condomínios edificados, residenciais ou não, com mais de 3 (três) unidades agrupadas verticalmente, protocolizados na Prefeitura para aprovação a partir da data de promulgação da presente lei, deverão prever a construção do “Telhado Verde”.

Brasil: PL n° 7162/2010 do deputado federal Jorge Tadeu Mudalen propõe desconto de 5% no IPTU para os habitantes de cidades com mais de 500 mil pessoas que implantarem coberturas verdes em 50% de seus telhados.

Um Projeto de Lei (PL 622/2008), de autoria do vereador Natalini (PV), presidente da Frente Parlamentar pela Sustentabilidade, prevê um desconto de 15% no IPTU dos imóveis que possuam esse tipo de telhado.

PL 388/2013, dos vereadores Alfredinho (PT) e Edemilson Chaves (PP) requer desconto no imposto de até 25% para edifícios com mais de quatro pavimentos que adotem vegetação perene em parte ou totalidade de sua fachada.

Fotos: Bigstock
Fonte: http://www.confea.org.br
Link: https://goo.gl/AC43w4